domingo, novembro 27, 2011

A conquista

Essa é simplesmente a parte mais gostosa de um relacionamento.

Eu e você. Você tentando provar que não preciso de mais ninguém além de você e eu querendo provar ser o melhor, o seu melhor.

Entender que pequenas atitudes fazem toda diferença é o primeiro passo para o “sucesso”.

Há uma grande diferença entre eu simplesmente te dar um beijo ou eu botar o teu cabelo atrás da orelha, colocar a mão no teu rosto, olhar nos teus olhos e ai sim te beijar. São esses pequenos detalhes que trazem a segurança para a mulher, a segurança que você está ao lado dela e não precisa de mais nada além disso.

O segredo é saber mesclar entre carinho e safadeza, basicamente de um jeito que só de olhar para ela você já saiba quando ela precisa de um colo ou de uns tapas.

Eu sou o homem, eu tenho que ter a certeza por nós dois. Por mais que eu não tenha a certeza do que fazer preciso lhe dizer: “Só preciso que você confie em mim, já o resto? O resto você deixa comigo.” Sou eu que corro atrás, eu que tenho que te mimar, eu que tenho que te conquistar...

Uma boa conquista envolve desde saber a hora de falar uma sacanagem até a hora de saber quando chegar no seu ouvido e lhe dizer: “Eu te acho tão linda...”

Saiba usar as palavras. Muitas vezes você dizer: “Sou louco por você” vale muito mais do qualquer “Eu te amo”, pode parecer bobo mas é algo que deixa a relação muito mais intensa. E é essa a essência do carinho com safadeza que eu estava querendo dizer.

Então se depois de tudo isso você ainda dúvida que os pequenos detalhes fazem toda diferença, experimente pegar a sua mulher e botar ela uma única vez para o lado de dentro da calçada.

Por fim acho que essa frase diz tudo:

“Ser líder é como ser uma dama: se você precisa provar que é, então você não é.”

Margareth Thatcher

domingo, novembro 20, 2011

O que estraga um relacionamento?

Todo mundo quer ter um relacionamento perfeito, mas eu? Só quero um que dê certo.

Começamos um relacionamento com o intuito de dar certo, de ter alguém para nos completar e principalmente ter uma parceria. Uma pessoa parceira que vá contigo desde pescar caranguejos no Alasca até comer o melhor Tiramissu do mundo.

Dentro disso separei os três motivos mais comuns para “estragar” um relacionamento que tem tudo para dar certo:

- Dúvidas

”Você namora uma pessoa e essa pessoa não sabe se casa ou compra uma bicicleta?“

Não tem coisa pior do que ficar com alguém que não tem decisão, que não olha nos teus olhos e diz: “Quero ficar com você e nada mais”. 

Essa segurança é importantíssima para que possamos nos sentir seguros e assim darmos o nosso máximo, sem joguinhos, sem medos, sem ninguém só eu e você.

É simples, fique comigo se você realmente quer ficar comigo, não quer? Então me deixa ser feliz em outro lugar.

- Comodidade

“Sabe quando a pessoa não termina com você só por...”

Na verdade essas pessoas têm “preguiça” de aguentar todo o transtorno que um término gera. Mas principalmente tem medo de ficar sozinha, medo de não ter com quem cozinhar, com quem ver um seriado...

E nisso essa pessoa pensa: “Vou ficar com ela até achar outra”

Resumindo a comodidade é a maneira mais fácil de não deixar as pessoas encontrarem a própria felicidade.

- Rotina

A rotina não é só inovar, mas sim se preocupar com a felicidade do outro.

Digo, não precisamos mudar mas sim surpreender. Acho que não existe coisa mais gostosa do quer receber uma surpresa, desde um café na cama até um despretensioso “Sabia que eu ainda te acho linda?”

Você não precisa fazer tudo por mim, só demonstrar que se preocupa comigo, com os meus interesses e as minhas vontades.

Saber ceder, esse é o segredo. Um dia faço o que você gosta, outro você faz o que eu gosto. Um dia entendo a sua histeria sem motivo, outro você entende o meu mau humor por causa do trabalho. Um dia entendo a sua vontade de comer algodão doce as duas da manhã, outro dia você entende a minha vontade de ficar quarta-feira vendo futebol.

Então é assim...

Só eu e você, eu do meu jeito e você do seu. Nós dois juntinhos curtindo o que a vida pode nos proporcionar, sem joguinhos, sem medo, sem pensar.

E por fim é isso que a vida tem de melhor: Ser gostado pelo que se é.

segunda-feira, novembro 07, 2011

Horóscopo das minhas experiências.

Esse post farei diferente, como hoje no twitter estávamos falando sobre signos achei interessante e divertido abordar esse tema, além de vocês se enquadrarem darão algumas risadas dos meus desastres amorosos.

Longe de ser uma verdade absoluta essas foram as MINHAS experiências com cada signo, namoro, ficadas, curtidas e afins.  E dentro disso foi o que eu absorvi de cada mulher:

A Pisciana.

Ela era muito sonhadora, sentimental, mas muito boa com as palavras. Às vezes era só eu botar ela de volta a realidade e ela já desanimava com tudo, até que eu aprendi que manter os “sonhos” dela era essencial para ela ser forte. Bem esquecidinha e muito carinhosa mas um pouco dependente, precisava sempre transmitir segurança e lembrar que gostava dela, se não...

A Ariana.

Um inferninho, difícil de domar e olha que eu era bom nisso, discutia demais e sempre queria dar a última palavra. Muito boa de cama, mas era muito irritadinha e “ai” se as coisas não saíssem do jeito dela. Odiava perder e sempre queria dar a última palavra. Por outro lado muito forte, otimista e inteligente. Sempre pensava no nosso futuro e sabia administrar nossas contas melhor do que eu.

A Escorpiana.

Super sexy e tarada, me acordava de noite só para transar, mas também desconfiava de tudo, mesmo sem motivos. Toda vaidosa, mas se eu fosse ao mercado e demorasse um pouco ela já achava que eu estava fazendo alguma merda. Um pouco ciumenta e adorava um poder, sempre queria liderar os grupos, as nossas viagens e afins.

A Canceriana.

A pessoa mais meiga do mundo, querida e simpática, mas monótona e chorona que só. Toda meiga e lindinha, minha mãe era apaixonada por ela, mas na cama não era lá aquelas coisas. Lutava pelo que queria, mas ao mesmo tempo muito frágil e necessitada de carinho. Sempre linda.

A Taurina.

Super elegante, mas um pouco preguiçosa e devagar. Por incrível que pareça era super calma, mas também quando brigávamos era um inferno. Até que um dia aprendi a não pisar no calo dela e as coisas melhoraram. Gostava muito da sua personalidade, nada de frescura e se precisasse matar uma barata ela fazia na boa. Muito lógica e materialista, mas a cabeça dura dela era algo difícil de lidar.

A Libriana.

Falava muito e não sabia das "malícias" da vida. Não sabia dizer não, mas sempre muito querida e bondosa. Tinha um super senso de justiça mas era um pouco bobinha, achava que todo mundo era bom e que tudo na vida era lindo. Me irritava um pouco o fato dela fazer vários favores para todo mundo e os outros fazerem ela de trouxa, e olha que eu avisava. Esse era o ponto positivo e negativo dela, a bondade. Já falei que falava muito?


A Virginiana.

Muito sossegada, mas não gostava de muita aventura. Muito bem vestida, mas também muito preocupada com as coisas, com seus valores e com o que os outros irão achar dela. Mas diferente de mim ela não gostava de uma paixão louca e aventuras. Sempre muito caseira e tranqüila, trocava qualquer coisa para ficarmos juntinhos em casa.

A Aquariana.

Queria mudar o mundo, super alternativa e diferente. Ela tinha um piercing, muito sexy por sinal. Sempre muito sensata e observadora tinha o dom de “decifrar” as pessoas. Mas não gostava da maneira com que ela fazia charminho para chamar atenção, adorava se fazer de coitadinha para eu vir e falar: “Por favor, vem aqui comigo”

A Sagitariana.

Super aventureira, do jeito que eu gosto. Não cedia, super explosiva e me mandava a merda direto, mas depois se arrependia. Dessa eu posso ficar falando por horas, muito apaixonada por mim mas tínhamos uma “regra” que na frente dos outros não demonstraríamos muito sentimento, e eu adorava isso. Discutíamos para ver quem conseguia ser mais irônico com o outro. Demonstrava ser super fria, mas eu sabia como tirar essa “casca”. (Muito bem por sinal). Uma companheira para tudo, mas muito difícil de lidar com o seu temperamento, sempre queria dar a última palavra, mas comigo não tem essa.

A Geminiana.

Sempre animada e alegre, mas cheia de dúvidas e incertezas. Era muito engraçado, ela ficava comigo mas achava metade dos outros caras bonitos e falava isso abertamente. Muito divertida para sair e alegre, mas não adiantava perguntar onde ela queria ir, sempre eu decidia. Apesar de sempre achar outros caras bonitos acredito que para ela sexo era só com “amor”.

A Capricorniana.

Acho que a que mais me reconhecia como “homem”. Sempre me deu apoio para assuntos profissionais, mas também muito segura e decidida. Adorava receber um elogio e ser reconhecida. Muito educada e de uma beleza clássica, sabia se portar, uma das mulheres que mais tive orgulho de ter ao meu lado.

A Leonina.

Super disposta e fazia tudo que tinha que ser feito. Se eu falasse: “Meu to aqui no fim do mundo, preciso que você traga uma coisa pra mim” Ela trazia. Ela simplesmente adorava um elogio ou paparico. Sempre muito vaidosa e estilosa, não vivia sem comprar uma bolsa ou um sapato. Se tínhamos que sair e ela estava “desajeitada”, ela dava uma arrumadinha rápida e fica linda como um passe de mágica. E por fim era a mulher mais forte que eu já conheci.


Só para frisar, essas são as minhas experiências, então não vem me falar: "EU NÃO SOU ASSIM!!!"

quarta-feira, novembro 02, 2011

Entenda os Homens (Capítulo 2)

Aqui vai a segunda parte do quadro Entenda os Homens...


1 - Se você se fizer de difícil, vou partir pra outra.

Se você realmente não quiser nada comigo, tudo bem. Mas se você quiser e mesmo assim ficar se fazendo de difícil partirei para outra. Lembre-se que não estou apaixonado por você, o tempo passa e a noite é curta. Já as mulheres? Existem várias no mundo.

2 - Não me sufoque. Eu preciso sentir saudade.

Gosto de você, mesmo. Mas preciso sentir sua falta pois sentir saudade é uma necessidade. Resumindo preciso lembrar de você sem você me lembrar.

3 - Não transe sem vontade.

Sei que as vezes você está cansada, sem tesão e faz para me agradar. Mas te garanto que não tem coisa pior do que fazer sexo com você dando aquelas espiadinhas na TV  ou sem vontade.

4 – Se eu te dou flores sem um motivo, tem um motivo.

A frase fala por si.

5 – O bojo realmente nos engana.

Ai a gente cria expectativa demais e ... Aproveita da mesma forma.